Estratégias de criação e reforço de parcerias discutidas na RUFORUM


By Berta Madime

Uma das sessões da 4ª conferência Bianual da RUFORUM em Maputo teve como tema “Reforçando Parcerias em pesquisa e Educação Superior” e contou com a participação de Representantes de várias organizações a nível internacional.

Estas apresentaram o relatório completo das suas parcerias a nível interno e externo cada uma em seu respectivo ramo, sendo a educação, negócios ou agricultura. Ainda nesta sessão foram apresentados vários planos de parceria, de ensino e capacitação de mestrados e PhDs, oportunidades de negócio e convites para novas parcerias.
8.4 (7)O principais problema mostrado pelos representantes foi em relação a “quebra” das barreiras entre as organizações e o sector privado que tem mostrado-se renitente em cooperar com os pequenos agricultores. Outra idéia dividida por todos foi a de que África deve ser produtora de conhecimento e não simplesmente consumidora de ideias alheias. Quem assim afirma é Christoff Pauw da organização STIAS mostrando com estatísticas que África só partilha 1.8% do conhecimento que produz.


Investir em pequenos agricultores foi também uma das soluções apresentadas na sessão, os representantes das organizações enfatizaram o facto de os graduados em Agricultura deverem ter contacto directo com os agricultores e não irem para outros países da Europa e América como alguns tê feito, por vezes, por falta de emprego em seus países.

A mulher também foi alvo das conversas, afinal, na luta pela igualdade do género esta esteve por muito tempo afastada. Actualmente, a mulher tem vindo a ganhar inclusão rapidamente na área da formação e agricultura ,caso que chamou a atenção de uma das presentes que colocou em questão o facto de mulheres irem estudar em outro países e terem de deixar suas famílias para trás, seja como fôr, algumas organizações trouxeram como solução a permissão de visitas dos familiares à estudante durante algum tempo, ainda sobre a mulher avançou-se como solução para a resolução do problema da falta de dinheiro para bolsas no estrangeiro a formação de profissonais no estrangeiro a formacão destes a nível do próprio pais.
A baixa qualidade do ensino foi tratada por alguns como estando directamente ligada ao baixo investimento , daí a necessidade da capacitação dos membros das organizações . A boa noticia e que o projecto SHARE (Universidade de Makerere) está oferecer bolsas de estudo para alguns estudantes sendo que 2 destas são para Moçambique,a esta noticia juntou-se a de Susan Owen ,da USAID, de que esta organizacao possui alguns programas que podem ser subscrito por qualquer singular que se interesse por estes, tais são os casos do programa PEER ( Partnerships for Enhanced Engagement in Research).

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: